GameDev: Pong

Meu desktop no momento da escrita desse post.
Ignorem os comentários aleatórios e o código mal escrito, por favor.

Pra quem não sabe, eu gosto de programação. E de jogos. E, claro, de programação de jogos.

E claro que não faço nada disso muito bem. Eu nem escrevo bem (algo que faço como hobby desde… sempre?), quem dirá programar (esse hobby veio junto com e por causa da faculdade). Mas, ainda assim, eu tento e me divirto com isso. Exceto quando as coisas quebram subitamente e eu passo dias tentando descobrir o que aconteceu e como resolver.

Minha
Pra quem viu minha coleção de livros no outro post, esses ficam separados.

Uns tempos atrás, fiz (até quase o final) um curso online chamado Introduction to Interactive Programming in Python que é muito bom, mas também bem pesado. Tive que desistir no final por causa da faculdade. Mas aprendi uma coisa ou outra de desenvolvimento de jogos, ainda que usando uma ferramenta muito simplificada.

Um dos melhores livros de programação que já li, Realm of Racket, trata de vários conceitos de programação, porém usando jogos até bem complexos como exemplo (chegando a usar redes, árvores e outras coisas que não me vem à mente nesse momento).

Então, já tava mais do que na hora de tomar vergonha na cara e aprender como se faz algo de verdade, sem uma ferramenta que ao mesmo tempo, facilita o desenvolvimento e impede a publicação do jogo final.

Ok, ok, o 2htdp/universe não é tão restritivo assim, estou exagerando um pouco.

Sei lá como, esses dias me animei a aprender algo sobre programação de jogos indies e tentar criar algo bem simples, só pra testar. Depois de vários artigos em blogs, acabei achando três opções pra usar com o C++ (eu meio que gosto mais do C, meio que vivo uma relação de love/hate com as duas liinguagens, meio que não queria abandonar clases e namespaces pra fazer um jogo): Allegro, SDL e SFML. Como o SFML é mais C++-like, escolhi ele. E não venha me xingar, meu jogo, minha escolha. Além disso, sei que todas são boas, e cheguei a aprender um pouco de SDL uns meses atrás nem lembro porquê.

Enfim.

A primeira luta foi relembrar as aulas do curso de Python. Acabei descobrindo que o esquema que eles usaram lá era até parecido com o que eu tenho que fazer aqui no SFML. Não tão parecido quanto eu gostaria, mas já ajuda bastante. Depois de alguns tutoriais em vídeo e em texto (infinitamente melhores do que os em vídeo, por sinal), a imagem que inicia esse post se forma.

E não se engane com aquela classe, ela ainda não está pronta para uso. Só coloquei ali porque o código implementado do jogo está cheio de testes e comentários inúteis. Esse daí está um pouco mais limpo. Além disso, não tivesse resolvido escrever o jogo com classes, talvez já o tivesse terminado, porque boa parte das coisas já está funcionando. Ou talvez se eu não tivesse inventado de aprender Doxygen, já teria terminado com as classes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s