[Review] Amazon Kindle

-3 < 2.5 < 3

Acho que posso começar com uma foto dessa vez:

Como vocês podem ver, eu gosto de ler.

Muito.

Esses livros ai foram sendo comprados (colecionados, me arrisco a dizer) ao longo dos anos, e a cada ano que passa a biblioteca cresce (especialmente quando eu vou na Bienal do Livro).

Ao mesmo tempo que é ótimo olhar para essa coleção, pegar um livro aleatório, abri-lo em uma pagina igualmente escolhida e começar a reler, é incomodo manter o espaço físico dedicado a guardar esses tesouros.

Estou até evitando livrarias, já que não cabe mais nenhum livro (por menor que seja) nesse armário, e meus pais não querem comprar um novo. E assim se vai o meu sonho de ter uma biblioteca no porão de casa…

Bem, pelo menos posso me conformar com isso:

É mais do que óbvio que eu não pararia de ler por causa de espaço físico. Só tive de reinventar a roda… ou melhor, descobrir quem o fez.

Eu já conhecia a Amazon, claro, mas, como ninguém aqui em casa tinha CCI (cartão de crédito internacional, se você não sabe), nem a intenção de importar algo dos estates, nunca realmente visitei o site deles. Também já estava cheio dessas notícias de “a Amazon vem pro Brasil, preparem seus bolsos”, porque nunca era verdade.

Foi abrir o site e me apaixonar quando descobri que existia algo chamado ereader. Um leitor de livros, com tela de tinta e tudo o mais.

Uma biblioteca portátil:

E não é que dois meses depois a Amazon vem pra essas bandas mesmo? Ok, veio só com a loja virtual, e sem o aparelho (gadget, se preferir) Kindle, mas já dava pra ler no iPad (o Kindle não é só o ereader, mas uma plataforma de leitura com aplicativos pra tudo quanto é gosto: iOS, Windows (7 e 8), MacOS, Android, iPod, ou no próprio PC… e, se no meio da leitura o iPad ficasse sem bateria, era só ir pro notebook e continuar de onde parei, graças a um treco chamado whispersync.

Claro que, assim que a Amazon pisou em terras brasileiras, eu corri pra testar o serviço (e aproveitar pra ler um livro que não achava nas livrarias: Ready Player One). Ainda no iPad, a leitura é tranquila, e o aplicativo em si funciona perfeitamente.

Mas o grande negócio é o Kindle-KINDLE mesmo. Ler nele é uma experiência totalmente diferente: como a tela é e-ink, o troço parece um livro normal, e não cansa a vista como telas com backlight (para quem tem problemas em ler em tablets/monitores/afins); e como os livros são virtuais, você os baixa (e em todos os aplicativos que você usar) e leva pra qualquer lugar – ou seja, chega de escolher o livro para levar na mala!

E antes que comecem: quem me dera estar levando alguma grana pra falar disso. Ganhei o Kindle de natal dos meus pais, e pago os livros do meu bolso (ok, com o cartão do meu pai, e pago pra ele depois, mas vocês entenderam o meu ponto).

Aliás, uma crítica: “compramos” (entre aspas mesmo, afinal eu ganhei o bichinho…) pelo site do Ponto Frio, já que a Amazon só veio virtualmente para cá.

(Para o caso de você(s) desconhecer(em), a Amazon é um site GIGANTESCO nos USA, e eles meio que vendem de tudo lá: câmeras, Kindles, livros físicos (tem até um serviço de impressão/venda por demanda chamado CreateSpace), roupas, mochilas, vinhos… procure alguma coisa lá, bem capaz de você achar.)

Enfim… o Ponto Frio confirmou o pagamento, enviou para a transportadora e ficamos esperando. (Crítica alternativa: tempo de entrega foi MUITO demorado, mas como é justificável, não vou levar isso adiante.) Nós tivemos que sair de casa um dia (uma quinta-feira, por sinal), e, por lei de Murphy, quando voltamos, tinha uma etiqueta minúscula colada na grade do portão dizendo que tentaram entregar e não nos acharam em casa.

Bem“, pensei comigo, “amanhã chega, e poderei começar a ler os livros nele.” Só que não foi bem assim. Passou-se sexta, sábado, domingo… e na segunda, veja só, constava no site que eles haviam tentado realizar a entrega nesses dias! Ligamos para a loja, para a transportadora, mas nada foi de fato resolvido. Muitos Alguns dias depois, vieram entregar, com tudo funcionando direitinho, mas a desonestidade da transportadora (que não me lembro o nome, fico devendo essa…) ou do próprio Ponto Frio me ensinaram que não é uma boa ideia comprar com eles.

Mas é isso, gente… Não classifico como 100% por causa desse probleminha com a transportadora, mas o gadget em si é muito bom e faz muito bem o que promete.

Deixem comentários me dizendo o que pensam, se acham o Kobo melhor, ou me xingando por comprar com o pinguim congelado. O importante é comentar! :3

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s